sexta-feira, 14 de maio de 2010

Da Felicidade e outros demônios


Era pra ser só um pressentimento, mas do ressentimento fez-se o drama. De repente, uma dormência dos sentidos, diz-se a fragilidade da razão. E esse esperar por não sei o quê.


Agarrou-se ao desassossego daquele dia sem sentido como que sorri para um desconhecido. Ah... que trabalho árduo era para ela existir, doses impensadas de esperança lhe era preciso diariamente. Naquele tempo não era tão perigoso usar tal substância, até estava dentro das conformidades da lei.


Exalou a aspereza daquela vida sem qualquer certeza ou noção do que faria. Saiu sem expectativas. Sempre dizia com o mesmo sorriso amarelo: “tá aí uma coisa que pesa que só o diabo e não se carrega só, a esperança”.


Aquele era o lugar ideal. Sem pestanejar, entrou. Encheu o copo de meias verdades e deu um trago no desespero. Olhou em volta, mas não elegeu um confidente. Ajeitou-se no banco e pôs-se a fazer o que mais gostava, repassar seu dia na memória – acelerando, retrocedendo ou mesmo congelando seus trechos favoritos.


Foi até lá, pé ante pé, para se desvelar. Revelou, ali no meio de tudo e toda aquela gente, sentimentos que – por ventura ou de propósito – eram segredos até mesmo para ela. Puro despropósito. Embaraçada constatou, era coadjuvante da própria história. Até onde se sabe, nunca mais voltou. Dizem que permanece na sombra dos pensamentos, espreitando a loucura.


20 comentários:

Felipe Teles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Senhorita Hermética disse...

Eu nunca escrevi pra ser compreendida mesmo. Se quem ler sentir, mesmo que ódio, já me basta.

Felipe Teles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cris disse...

Ela chega do nada, em meio ao sol abrasador, afaga meu rosto como carícia de mãe e cessa repentinamente. Já nem sei mais o que eu estava pensando antes da sua chegada. Nem sei para onde ela foi levando meus pensamentos.

Cá estava eu outra vez, dispersa em meio as minhas dores e amores e...lá vem ela novamente...repentinamente tormentuosa...tormenta ventuosa, ventuosidade em forma de ser. Arrasta tudo em seu caminho, mistura elementos e sentimentos e me põe como mera expectadora da minha própria história.

E lá vou eu de novo, separar tudo que ela misturou: prazer e dor, amor e ódio, alegria e frustrações. Tudo isto sem me dar conta que o que ela fez foi transformar minha existência em vida. O que ela levou já não me importa mais.

Aaahhhh...garota ventania! O que seria de mim se não tivessem inventado o pente!

Felipe Teles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cris disse...

rs...fique a vontade (tens carta branca, convite vip, etc!).

Não conheço ninguém neste cosmo que seja titular da seleção do "eu sei tudo!!!"
Na minha humilde existencia, certa de que tenho muito a aprender, sempre presto atenção nas mensagens deixadas por todos aqueles passam por mim.

A mistura dos sentimentos bons e ruins, provocada pela "garota ventania", tem o único intuito de fazer com que vc preste atenção neles ao tentar separá-los de novo. Desta forma vc acaba aprendendo quem é quem e o porquê de tudo. É daí que a vida acontece e segue adiante de forma diferente.

A partir do momento em que vc decide viver de verdade, terá que escolher dentre toda esta mistura o que ainda vale a pena levar se vc quer mesmo ser feliz.

Mas cuidado com a fragilidade! Qdo ela passa, a única coisa que fica de pé são os cabelos, porque o resto vai tudo pro chão!

Felipe Teles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cris disse...

Tá...rs...gostei da idéia da lasanha filosofica!!!

Só não sei até onde a filosofia resistiria...kkkkkk...depois de saber que no recheio havia uma barata...kkkkkkkkkk!!!

Brincadeiras a parte, eu ando mesmo precisando de ver um pouco o lado filosofico da vida! Vc acertou em cheio! Minha mente é ciencia pura e, por conta disto, muito sem graça as vezes!

Felipe Teles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cris disse...

Eujá amei o mistério um dia. Hoje ele me entedia. Há muito abandonei o prazer da aventura pelo conforto da segurança.

Por outro lado, tudo sempre tem uma explicação. A questão é qdo vamos querer saber dela e o que vamos fazer com ela. Taí a maravilhosa conexão da ciencia (conhecimento) e a filosofia (sabedoria).

Para mim a filosofia é o ápice do conhecimento. Momento no qual vc consegue aplica-lo com sabedoria. Taí pq eu sou ciência pura...eu ainda não sei o suficiente para filosofar! Talvez minha filosofia esteja na minha eterna busca. Talvez a busca seja a minha filosofia.

Mas quer saber, melhor eu ir de Raul Seixas de novo:

"...prefiro ser esta metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobretudo..."

Felipe Teles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cris disse...

Outro dia, a Gi e eu travamos um debate sobre a razão e a emoção e a possibilidade de se conseguir equilibrar as duas no transcorrer da vida. Hoje, concluo que, na verdade não devemos perder tempo procurando este equilibrio, pois ele não existe. Não dá para se chegar a uma dose certa de cada uma.

A vida sem emoção, sem sentimentos não é viver, é apenas existir. Emoção sem razão é insanidade. Assim, para que haja uma perfeita harmonização entre as duas (uma não atrapalhe a outra), a razão deve servir apenas como base de apoio. Uma segurança para que a emoção navegue sobre o seu ser, garantindo sua livre manifestação nos limites da fronteira entre o bem e o mal. Afinal de contas, é a consciencia dos nossos atos que nos dá a chave da liberdade para vida.

Felipe Teles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cris disse...

É preciso separar o que é conduta social hipócrita do bom senso. Há regras que embora sejam "castrantes", são necessários para a harmonia do grupo e o bem estar de todos. Na verdade, o que dita os limites da sua liberdade é o seu estado de consciencia. Se o que vc faz te faz bem e não prejudica ninguém, então és livre na sua razão para viver suas emoções.

Mas se as manifestações que me fazem feliz ferem alguém de algum modo, então vamos sentar, conversar e ver o que pode ser feito para que todos fiquem bem e livres, principalmente na consciencia.

Agora, se tudo for fruto de uma cabeça dura, intransigente, hipócrita, cujo objetivo é manipular conforme suas ultrapassadas teorias cientificas e/ou filosoficas...eu dou um FODA-SE! E um viva a liberdade de evoluir!

Felipe Teles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cris disse...

RAZÕES PARA BEBER UM VINHO SUAVE NUMA NOITE FRIA E JOGAR CONVERSA FORA: diversão, desbunde, afugentar o tédio, tá frio, criar coragem, se embebedar, não tem filme legal hoje, tá todo mundo de cabeça oca, dar sono, relaxar, tô sem grana para um John Walker, ficar bebado, ela(e) é timido(a), meio para justificar um fim, não tó afim de filosofar hoje, não tem comando da lei seca no trajeto, não entendo bolhufas do que estão falando, alegrar a noite, ela(e) é bonita(o) mas fútil, exercer sua brasilianidade, o vinho era de péssima qualidade, lembrar coisas, esquece-las, dor-de-cotovelo, pagar um mico, faz bem para saúde, testar sua resistencia (tanto ao alcool qto a conversa), disputar para ver quem conta a maior mentira ou a piada mais besta...e por ai vai!

RAZÃO DO CERTO: o erro;
RAZÃO DO ERRO: o acerto;
RAZÃO DOS DOIS: a vida;
RAZÃO DA VIDA: a emoção;
RAZÃO DA EMOÇÃO: ser feliz;
RAZÃO DE SER FELIZ: sei lá...cada um tem a sua. Tomar um vinho suave numa noite fria com conversas sem razão pode ser uma.

É garoto emoção, vc tem razão!

PS.: Aaaahhhh...já ia me esquecendo:

RAZÃO DOS POLÍTICOS E DOS JORNALISTAS CÉTICOS: achar que vc não tem razão!

Felipe Teles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cris disse...

Ela tá fazendo uma MBA aqui...hehehehehe!

Putz...tá bom...tá bom...se for para vc não virar um alcoolatra, vamos então meter um pé na razão. Vamos pular de bang jump do alto do prédio do Banespa sem equipamento de segurança, só para viver a emoção de se espedaçar no chão. Já pensou qta emoção também no velório? Todo mundo chorando e vomitando ao olhar para a sua ex-cara dentro do caixão? E a galera entoando desafinadamente o hino do seu clube de futebol no cortejo funebre, com com aquela bandeira encardida em cima...arrrrrrrrgggg!!!Daí colocam no seu epitáfio aquela foto que vc mais odiava, com cara de retardado(coisa de mãe!).

Misericórdia!!!Quer saber?! Vai daí Skank!!!

"...ô comandante, capitão, tio, brother, camarada, chefia, amigão desce mais uma rodada..."

Felipe Teles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cris disse...

Legal esta idéia de vender restos de corpos. Eu poderia, por exemplo, ter pelo menos alguns rostos guardados para trocar naqueles dias em que eu não vou com a minha cara no espelho. Ter algumas opções de bundas, uma para o inverno outra para o verão e o que mais a criatividade ditar.

Bom, seguindo a linha de homenagens à dona do blog então...manda vê ai Barão!!!

"pra quê perder tempo disperdiçando emoções, grilar com pequenas provocações. Ataque se isso for preciso, sou eu quem escolho e faço os meus inimigos...saudações a quem tem coragem, aos que tão aqui pra qualquer viagem. Não fique esperando a vida passar tão rápido, a felicidade é um estado imaginárioooooooo...PENSE E DANCE!"